A startup Phelcom Technologies acaba de produzir o seu 200º Eyer, tecnologia inovadora que permite realizar exames de retina pelo smartphone. O retinógrafo portátil foi lançado em abril. “O Eyer teve uma ótima aceitação no mercado. Desse modo, atingimos a nossa meta de produção muito antes do planejado”, revela o cofundador e CEO da Phelcom, José Augusto Stuchi. O aparelho está com fila de espera.

O equipamento já está presente em todas as regiões do Brasil. Inclusive, em instituições como USP, Unifesp, Hospital Albert Einstein, Santa Casa de São Paulo, Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem, Prevent Senior e Grupo Opty, dentre outros.

Até o momento, mais de 15 mil exames foram feitos. Para 2020, a expectativa é que a tecnologia seja utilizada para realizar exames de retina em mais de 100 mil pessoas.

O Eyer tem inteligência artificial (IA) embarcada e funciona por meio de tecnologia móvel e telemedicina. Os dados dos exames são disponibilizados no sistema de nuvem EyerCloud e o diagnóstico pode ser feito remotamente. “A portabilidade e o custo baixo fazem do Eyer uma das ferramentas de melhora no acesso à saúde dos olhos para mais pessoas. Principalmente em comunidades afastadas e em regiões com infraestrutura deficiente em saúde. Hoje, apenas 15% das cidades brasileiras oferecem serviços de oftalmologia”, explica o cofundador e COO da Phelcom, Flávio Pascoal Vieira.

 

Phelcom Eyer

 

retinografia para neurologistas

 

Primeiro produto da startup, o Eyer é o que há de mais moderno em retinografia portátil para prevenção e diagnóstico de doenças relacionadas à visão.

O aparelho funciona acoplado a um smartphone e realiza exames de retina de alta qualidade, em poucos minutos e sem a necessidade de dilatação da pupila. Por ser integrado à nuvem, disponibiliza automaticamente os dados na plataforma online EyerCloud para serem analisados por um especialista em qualquer lugar do mundo. Ou seja, permite o diagnóstico remoto.

O Eyer visa auxiliar no combate à deficiência visual e cegueira mundial, que atingem 2,2 bilhões de pessoas, segundo a Organização Mundial da Saúde. Destes, 1 bilhão de casos seriam evitáveis ou passíveis de correção. Ou seja, ocorreram por falta de acesso aos cuidados necessários, como exames e tratamentos.

 

Phelcom Technologies

 

A Phelcom Technologies é uma startup que une tecnologia e saúde, com sede em São Carlos (SP). Cria dispositivos portáteis, conectados e vestíveis com o propósito de democratizar o acesso à saúde, oferecendo mais com menos e para mais pessoas.

Para desenvolver o seu primeiro produto, a startup recebeu aporte da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e do Programa de Promoção da Economia Criativa da Samsung. Além disso, conta com o apoio das incubadoras Supera Parque e Eretz.bio, essa última do Hospital Israelita Albert Einstein.