Uma pesquisa realizada pela IBM e a Universidade de Nova York, ambas dos Estados Unidos, desenvolveu uma tecnologia que detecta automaticamente e com precisão de 94% o glaucoma. A pesquisa contou com amostras de 649 pacientes, sendo 432 portadores da doença e 217 pacientes saudáveis.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o glaucoma atinge 70 milhões de pessoas no mundo todo. Só no Brasil, são 900 mil casos. O problema é uma das principais causas de cegueira irreversível no mundo.

Com o estudo, os pesquisadores conquistaram o objetivo principal: utilizar a Inteligência Artificial (IA) para ajudar os médicos a diagnosticar esta doença de maneira mais eficiente. A tecnologia utiliza o exame de OCT (Tomografia de Coerência Óptica) da retina e consegue detectar o glaucoma na mesma hora.

Mas o trabalho não para por aí: os pesquisadores pretendem investigar os potenciais biomarcadores do glaucoma, o que pode levar a um entendimento mais profundo do distúrbio.

 

Glaucoma

 

O glaucoma é uma doença que afeta os olhos e é caracterizado por um aumento da pressão intraocular e por uma alteração do nervo óptico. As fibras nervosas são afetadas e ocorre a perda parcial da visão. O problema é divididos em quatro tipos:

  • Glaucoma de ângulo aberto (crônico): não apresenta sintomas na fase inicial, apenas quando a doença está em estágio avançado. Neste caso, não há mais chances de amenizar as sequelas.
  • Glaucoma de ângulo fechado (agudo): mais raro, apresenta dor e vermelhidão nos olhos.
  • Glaucoma congênito: ainda mais raro, é hereditário e costuma ser adquirido durante a gravidez, quando a mãe passa o problema para o bebê.
  • Glaucoma secundário: é causado por outros fatores, como doenças nos olhos, distúrbios sistêmicos, traumas e até o uso de alguns medicamentos, como corticosteroides.

Neste último tipo, encaixa-se o glaucoma neovascular. O problema acontece devido às complicações da diabetes.

 

Sintomas

 

Como falamos, o glaucoma é uma doença assintomática na fase inicial. Na maioria dos casos, os sintomas só surgem quando o distúrbio está em estágio avançado.

Veja quais são os sintomas:

  • Perda gradual da visão periférica lateral;
  • Dor nos olhos;
  • Olhos vermelhos devido à inflamação.
  • Aumento da pupila;
  • Visão turva e embaçada;
  • Dificuldade para enxergar no escuro;
  • Visão de arcos em volta das luzes;
  • Lacrimejamento;
  • Sensibilidade excessiva à luz;
  • Dor de cabeça forte, náuseas e vômitos.
  • Cegueira

 

Tratamentos

 

O glaucoma não tem cura, mas há tratamentos que diminuem os danos causados e contém a progressão da doença. Dentre eles, o uso de colírios, medicamentos, cirurgias e tratamento com laser.

Procure manter em dia as consultas com o oftalmologista. Se apresentar alguns desses sintomas, é essencial procurar um médico imediatamente.

 

Conclusão

 

Você viu neste post que a medicina progride cada vez mais em busca de aprimorar os diagnósticos do glaucoma. E o uso de IA nesta área tem mostrado resultados positivos e promessas de grandes avanços em um futuro próximo.

 

Todas as novidades da área de oftalmologia e doenças dos olhos você encontra no blog da Phelcom. Assine a nossa newsletter e receba tudo em primeira mão.

 

Inscreva-se agora!