De acordo com a Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO), 47% dos brasileiros de 65 a 74 anos possuem catarata. Atualmente, essa doença é responsável por 48% dos casos de cegueira no Brasil, segundo a SBO. Com toda a certeza, esses dados mostram a dimensão do problema. Mesmo sendo curável, a falta de acesso à saúde de qualidade afeta o diagnóstico precoce e o tratamento.Hoje, a cirurgia de catarata consegue recuperar a visão do paciente, dependendo da gravidade do caso. E, para mostrar como ficará o resultado final, um novo estudo testou aparelhos que simulam os efeitos reais pós-operação.

Portanto, vamos explicar neste post como funciona esses simuladores visuais, como foi realizada a pesquisa, os resultados e como tudo isso beneficia os portadores de catarata.

 

A pesquisa e os resultados

 

Os pesquisadores do Conselho Nacional de Pesquisa Espanhol (CSIC) testaram equipamentos que simulam como ficará a visão individual após a cirurgia de catarata. Até então, ainda não havia sido comprovado a fidelidade da simulação aos efeitos reais atingidos pelo procedimento. O estudo foi publicado na revista Scientific Reports.

Os simuladores contam com diversas lentes diferentes, espelhos e moduladores de luzes para mostrar ao portador qual será o resultado pós-operatório. Isso tanto para consequências positivas quanto para negativas.

Os testes foram realizados em grupos de voluntários. E, felizmente, o estudo alcançou resultados satisfatórios, com os aparelhos mostrando os resultados reais após a cirurgia de catarata.

 

Benefícios

 

Sem dúvida, o estudo auxilia bastante para que esses simuladores visuais sejam disponibilizados no mercado. Outra vantagem é o paciente já saber quais serão os resultados da cirurgia. De fato, isso faz com que ele opte mais rápido pelo procedimento e esteja ciente de todos os efeitos pós-operatórios.

Mas, o maior benefício é simular o resultado final para cada tipo de lente artificial. Isso porque a cirurgia de catarata apresenta efeitos colaterais em algumas pessoas – na verdade, em uma pequena porcentagem. Dentre eles, visão embaçada ou com menos contraste.

E, para resolver o problema, muitos pacientes voltam para a mesa de cirurgia para trocar a lente. Agora, com os simuladores comprovadamente eficazes, isso pode ser evitado.

 

Catarata

 

A catarata é uma lesão ocular que deixa o cristalino opaco e torna a visão turva, como se existisse uma névoa diante dos olhos. A doença tem cura na maioria dos casos, por meio de cirurgia. Quanto mais cedo o diagnóstico, menor a perda de visão.

 

cirurgia de catarata

Olho afetado com a doença. Imagem: Centro Campineiro de Microcirurgia

 

Conclusão

 

Mais uma vez, o uso de inteligência artificial na oftalmologia tem alcançado resultados incríveis. Como, por exemplo, o uso de simuladores visuais que mostraram o resultado final da cirurgia de catarata. E isso individualmente, paciente por paciente.

Com essa extensa pesquisa publicada, esses aparelhos ganham um empurrãozinho para receberem o aval de entrada no mercado. E, sem dúvida, os portadores de catarata terão acesso a uma tecnologia essencial para a recuperação e cura da doença.

 

Inteligência artificial na oftalmologia é um assunto interessante para você? Então, inscreva-se no nosso blog e acompanhe todas as novidades da área.

 

Assine agora