O Google, por meio da sua startup Verily, desenvolveu uma inteligência artificial que consegue identificar retinopatia diabética e edema macular diabético. Isso apenas ao analisar fotos de pessoas com sinais dessas doenças. O programa começou a ser testado recentemente em pacientes do Hospital Aravind Eye, na Índia, e já apresenta resultados promissores.

Com toda a certeza, essa tecnologia deve proporcionar mais rapidez e facilidade nos diagnósticos e tratamentos desses problemas. Aliás, esses problemas ocorrem a partir de complicações na diabetes. Isso porque a IA faz a análise das informações e gera os resultados automaticamente, sem precisar de um especialista para interpretar os dados.

E isso é muito importante, principalmente em locais em que existem dificuldades no acesso à saúde de qualidade. Por exemplo, na Índia há apenas 100 mil oftalmologistas e só 6 milhões dos 72 milhões de diabéticos são acompanhados por este profissional, de acordo com a Verily.

Por isso, vamos explicar neste post como funciona a nova inteligência artificial do Google. Mais do que isso, vamos mostrar também uma iniciativa inovadora brasileira que revolucionará o setor de oftalmologia.

 

Nova inteligência artificial do Google

 

A Verily, startup da área de saúde fundada pelo Google, utilizou machine learning para avaliar milhares de fotos de pacientes afetados por retinopatia diabética ou edema macular diabético. Desse modo, o programa consegue identificar os sinais das doenças por meio dessas imagens como referência.

Mesmo detectando as doenças sem o auxílio de médicos oftalmologistas, a ideia é utilizar o programa para fazer uma pré-triagem. Assim, as pessoas que apresentam indícios de um dos distúrbios são encaminhadas para consultas médicas. “Ao integrar a Verily e o programa de diagnóstico ao nosso programa de análise, podemos aumentar nossa eficiência. Damos aos especialistas mais tempo para trabalhar mais próximos aos pacientes em tratamento, enquanto aumentamos o número de análises que podemos fazer”, afirmou o Dr. R. Kim, chefe do setor oftalmológico do Aravind Eye Hospital, em anúncio oficial.

 

Phelcom Eyer: inteligência artificial realiza exames de retina

 

 

No Brasil, a startup Phelcom Technologies desenvolveu um retinógrafo portátil para prevenção e diagnóstico de doenças na retina. O aparelho funciona acoplado a um smartphone com câmera de alta resolução. Ele captura a imagem do fundo do olho, realizando o exame de retina. Integrado a uma plataforma online, envia automaticamente os dados para o laudo de um especialista.

O Eyer será lançado neste mês pela Phelcom. A expectativa é que 50 mil pacientes sejam impactados pela tecnologia apenas em 2019. “O nosso objetivo é democratizar o acesso a exames oftalmológicos. Atualmente, cerca de 85% das cidades brasileiras não tem acesso a especialistas e aparelhos que façam o diagnóstico de doenças nos olhos”, afirma o cofundador e CEO da Phelcom, José Augusto Stuchi.

Com isso, o Eyer deve auxiliar no combate à deficiência visual grave e cegueira, problemas que atingem mais de 250 milhões de pessoas no mundo todo. Hoje, 75% dos casos ocorrem por falta de prevenção, diagnóstico precoce e tratamento correto.

 

 

Conclusão

 

Por fim, a inteligência artificial aplicada na área de saúde tem alta capacidade de desenvolver projetos inovadores e capazes de gerar qualidade, rapidez e praticidade para os pacientes. Este é o caso da Verily, com esse novo programa de diagnóstico e outros em saúde, e da Phelcom, com o retinógrafo portátil Eyer.

Mais do que isso, essas novas tecnologias buscam levar o acesso à saúde para milhões de pessoas no mundo todo.

 

Inteligência artificial aplicada na área de saúde é um assunto que interessa você? Então acompanhe o blog da Phelcom e cadastre-se para receber todas as novidades.

 

Inscreva-se aqui