Você sabia que a febre amarela pode afetar os olhos? É isso que a pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) identificou durante os dois surtos da doença no sudeste do Brasil, entre 2017 e 2018. O estudo foi publicado na revista Jama Ophthalmology, da Associação Médica Americana, em junho.

Além de alterar a parte branca dos olhos, tornando-a bem amarelada, o estudo diagnosticou retinopatia em pacientes com febre amarela.

Com toda a certeza, o trabalho aponta para uma possível correlação entre as doenças, até então desconhecida. Por isso, entenda neste post como os cientistas encontraram a conexão, como foi realizada a pesquisa e quais são os próximos passos.

 

A pesquisa

 

O estudo inédito feito pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) analisou o quadro de 94 pacientes com indícios de febre amarela. Os dados foram fornecidos pelo Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte. A investigação ocorreu após o surto que atingiu 1.376 pessoas e provocou 483 mortes, entre julho de 2017 e junho de 2018, segundo o Ministério da Saúde.

Todos os pacientes realizaram o exame de fundo de olho para verificar se havia danos na retina devido à doença.

 

Os resultados

 

Ao todo, 64 pessoas foram diagnosticadas com febre amarela. Destas, 20% apresentaram quadro de retinopatia. No entanto, os pesquisadores observaram que o distúrbio não afetou a mácula, a parte mais importante da visão. Ou seja, os pacientes não sofriam com os sintomas mais comuns da retinopatia, como alterações na visão.

Porém, as lesões na retina estavam associadas a alguns biomarcadores laboratoriais, como número mais baixo de plaquetas, aumento de bilirrubina, creatinina, lactato e até da aspartato aminotransferase, enzima produzida no fígado. Todas estão relacionadas à doença sistêmica mais grave. Isto é: a retinopatia indicava a gravidade da febre amarela.

 

Febre amarela

 

febre amarela pode afetar os olhos

O mosquito é o transmissor do vírus da febre amarela. (Foto: James Gathany).

 

A febre amarela é uma infecção provocada por um vírus e transmitida por mosquitos. Dentre os seus principais sintomas, estão febre, dores musculares, dor de cabeça, perda de apetite, náuseas e vômito, fraqueza e vermelhidão no rosto, olhos e língua.

Além disso, a febre amarela pode afetar os olhos nos casos mais graves. Dessa forma, causa icterícia (amarelado na parte branca dos olhos) e lesões na retina, como retinopatia. Já as alterações mais comuns entre os pacientes com retinopatia foram oclusões microvasculares, resultando em infartos da camada de fibras nervosas da retina. Também foram observadas hemorragias superficiais e outras lesões retinianas mais profundas.

 

Conclusão

 

De fato, a pesquisa mostra que a febre amarela pode afetar os olhos como indício da gravidade da doença. Para isso, causa a retinopatia, além da icterícia. Dessa maneira, o exame de fundo de olho (simples e não invasivo) pode ajudar no melhor entendimento da doença. Outra vantagem é o encaminhamento mais rápido para tratamento adequado.

Com toda a certeza, o trabalho dá início para estudos mais amplos e profundos sobre a correlação entre as doenças. Esse deve ser o próximo passo.

 

Novidades na área da saúde interessam você? Então, acompanhe em primeira mão o blog da Phelcom.

 

Inscreva-se