De fato, os governos e autoridades de saúde de todo o mundo têm adotado diversas medidas para combater o novo coronavírus (SARS-CoV-2). Como exemplo, as entidades médicas divulgaram comunicados com orientações sobre como agir nesse cenário atual de pandemia, inclusive no Brasil.

Uma delas é o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO). Em seguida, conheça as recomendações do CBO para o cuidado no atendimento dos pacientes em relação à Covid-19, doença causada pelo novo agente do vírus.

 

CBO – comunicado coronavírus

 

 

coronavírus

 

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) publicou um protocolo com precauções que devem ser adotadas no consultório quanto ao novo coronavírus. Logo abaixo, confira as medidas indicadas aos oftalmologistas:

 

Suspensão imediata de procedimentos eletivos

 

A primeira recomendação do CBO é adiar todas as consultas, procedimentos e/ou cirurgias eletivas, mesmo em áreas que ainda não há suspeita da doença. Porém, antes de suspender as atividades, o conselho indica que o médico revise o prontuário do paciente para ter certeza da possibilidade de cancelamento.

Com isso, garantir:

  • Quadro clinicamente saudável;
  • Procedimento adiado sem prejuízos;
  • A ciência do paciente quanto ao retorno do atendimento em nova data futura.

 

Atendimento de urgência e emergência

 

endoftalmite

 

Sem dúvida, o oftalmologista precisa adotar algumas medidas de segurança nas consultas emergenciais, como:

  • Uso de máscaras, óculos e luvas descartáveis;
  • Higienização completa da clínica, especialmente de maçanetas, banheiros e material de atendimento;
  • Fornecer material necessário de EPI’s para uso próprio e dos colaboradores;
  • Comunicar o não atendimento de pessoas que apresentem os sintomas de Covid-19 ou que tenham testado positivo durante o período de 14 dias.

 

Alerta CBO – coronavírus

 

Além disso, a entidade também divulgou um outro protocolo com mais orientações para minimizar a propagação e garantir a higienização dos ambientes e equipamentos. Isso porque estudos apontam que o vírus pode ser transmitido em contato com a conjuntiva. Ao mesmo tempo, alguns pacientes testados positivo para Covid-19 apresentaram conjuntivite folicular leve.

Em seguida, veja mais recomendações do CBO para os consultórios oftalmológicos:

  • Em caso de emergência, atenda um paciente por vez para manter a sala de espera o mais vazia possível;
  • Adote barreiras de lâmpadas de fenda e protetores respiratórios para proteção adicional;
  • Faça a limpeza cuidadosa do equipamento entre os atendimentos de pacientes;
  • Para diminuir ainda mais o risco de qualquer transmissão de vírus, informe os pacientes que falará o mínimo possível durante o exame com lâmpada de fenda e solicitar que ele também não converse;
  • Salas e instrumentos devem ser completamente desinfetados após cada atendimento;
  • Use luvas descartáveis ao limpar e desinfetar superfícies;
  • As lâmpadas de fenda, incluindo controles e protetores respiratórios, devem ser desinfetadas, principalmente onde os pacientes colocaram as mãos e o rosto.

 

Conclusão

 

De fato, os oftalmologistas devem ser rigorosos na adoção de medidas de segurança contra o novo coronavírus. Isso inclui a suspensão de procedimentos eletivos e, em casos de atendimentos emergenciais, o uso de máscara, óculos e luvas descartáveis e a rigorosa higienização de todo o consultório, dentre outras ações.

As recomendações do CBO seguem as demais orientações feitas por diversas entidades médicas de todo mundo, inclusive da Academia Americana de Oftalmologia.

 

Acompanhe as principais informações sobre o coronavírus e os olhos no blog da Phelcom.

 

Inscreva-se