Recentemente, o governo ampliou os serviços de telemedicina permitidos no Brasil. Com isso, ferramentas como teleconsulta, teleorientação e telemonitoramento passaram a ser fundamentais para a manutenção do atendimento em saúde durante a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Por outro lado, a adequação de médicos e pacientes a esse cenário está sendo um verdadeiro desafio. Isso porque as atividades – até então proibidas no país – mudaram completamente a rotina dos profissionais e a jornada do paciente.

Então, para facilitar a adaptação da classe médica, a Associação Paulista de Medicina (APM) lançou dois novos projetos: plataforma gratuita de atendimento a distância e curso de telemedicina.

Em seguida, conheça mais sobre as propostas e como participar.

 

Plataforma de atendimento a distância

 

A Associação Paulista de Medicina (APM), em parceria com a Teladoc Health, disponibilizou aos associados uma plataforma gratuita para que possam atender os pacientes a distância.

Com total segurança e qualidade, o médico pode acessá-la por computador. Já os pacientes, por aplicativo de celular, que está disponível para Android e iOS.

O contato é realizado por áudio e vídeo, em prontuário resolutivo e simples, com a possibilidade de ser integrado com outros recursos utilizados pelo profissional.

Para usar a plataforma, o médico deve preencher um formulário no site http://associacaopaulistamedicina.org.br/teladoc/

 

telemedicina

 

Curso de telemedicina

 

A Associação Paulista de Medicina (APM) também desenvolveu o curso on-line Capacitação Básica em Telemedicina, com carga horária de 10 horas e certificado.

O treinamento oferece conhecimentos básicos sobre as boas práticas da ferramenta, abordando conceitos iniciais, competências para a teleconsulta, segurança de dados e regulamentação brasileira, dentre outros.

Além dos associados da APM, membros da Unimed Fesp, Unimed Brasil e da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS) também poderão fazer a capacitação com desconto devido à parceria firmada entre as entidades. O valor é de R$ 90.

Não-associados também podem realizar o treinamento. O investimento é de R$ 180.

Nas duas primeiras semanas após o lançamento do curso, 500 profissionais já se inscreveram. A partir da data de matrícula, os alunos têm até 30 dias para concluir o conteúdo.

A capacitação está disponível no site https://cursosonlineapm.org.br/.

 

Programa de Educação em Telemedicina para Médicos

 

O curso é o primeiro lançamento do Programa de Educação em Telemedicina para Médicos. Criado pela Associação Paulista de Medicina (APM), o objetivo do projeto é contribuir com os profissionais na adoção adequada das novas tecnologias digitais.

Desse modo, o programa consiste em capacitações de curta duração que irão abordar os mais diversos aspectos da aplicação e uso da telemedicina na prática médica, como um complemento aos cuidados presenciais dos pacientes.

 

Conclusão

 

Sem dúvida, as iniciativas da Associação Paulista de Medicina (APM) auxiliarão bastante a classe médica, que se vê diante de uma grande mudança com a ampliação do uso de telemedicina. Mais do isso, da necessidade de utilizar a ferramenta para garantir atendimento com segurança, para pacientes e profissionais, durante a atual pandemia.

 

Agora, acompanhe o blog da Phelcom e saiba tudo sobre telemedicina.

 

Inscreva-se